Sexta-feira, 22 de Maio de 2009



Somos seres surpresas...
A cada dia temos uma leitura de mundo...
Que varia muito com o nosso estado de espírito.
Sabemos que o equilíbrio é o ideal, mas oscilamos...
Altos e baixos, Céus e Terras e, até do Nirvana a Dante.
Paradoxais somos, conseguimos odiar ao objeto de amor.
Como se fosse possível odiar o AMOR.
Muitas vozes se erguerão na defesa deste ódio-amor,
Pois, não se percebem que é apenas um mecanismo
De preservação, diante da dor da rejeição. Rejeição...
Que nós mesmos plasmamos. É o orgulho ferido bradando...
E aí, renegam-se todos os sonhos, todos os momentos
Felizes. E se julga e condena. Ah! Com que facilidade
Fazemos isto... Você me enganou! Você me iludiu!
Você me seduziu!Você me usou! Você me mentiu!
Enfim, o objeto de amor passa a ser um malfeitor...
Não podemos ser contrariados, se nossos desejos
Não são atendidos, logo nos arvoramos de juizes
E senhores da absoluta verdade...
Fala-se da diversidade, do respeito ao outro,
Da aceitação... Mas... como reagimos à rejeição?
Criando um escudo de ódio e ressentimentos?
Ou nos humilhando, rastejando, anulando?
Onde está escrito que todo sentimento de AMOR
Tem que ser retribuído da mesma maneira se
Somos indivíduos que sente e pensa diferente?
Por que não aceitamos que todo amor é “verdadeiro”,
( não gosto deste termo, acho q vulgariza o sentir),
Quando o AMOR é o AMOR, com toda a sua surpresa...
Nós é que damos a ele intensidade, cor, sabor, musicalidade...
Somos nós que o instrumentalizamos. O Amor que eu sinto
Jamais será igual a qualquer outro, simplesmente porque
Eu sou EU. E por que é tão complicado, aceitar que é o
Amor que dá significação a nossa existência? Que lucramos
Ao renegá-lo e nos vitimizar? Sim, nos fazemos de vítimas
E o amor de algoz.
Quantas vezes nos olhamos no espelho e nos sorrimos?
Quantas vezes nos pensamos com ternura e amor?
Quantas vezes nos dizemos amo-me como SOU?
Será que aprendemos a AMAR?
De que amor estou falando? Do amor, que vive na gente,
Latente, gérmen. No AMOR, que faz a diferença.
No Amor que amplia nossos horizontes e até dá asas.
No amor que nos sustenta diante de momentos difíceis.
No amor que amplia nossa percepção de ver além de nós.
No Amor que não deixa com que desistamos de sonhar
E de viver.
No AMOR que nos segreda e mostra o caminho da eternidade...   No AMOR surpresa que nos enfeitiça e dá sentido à existência...  No AMOR que nos faz exalar o mais divino perfume...
No AMOR que nos descortina a imortalidade
No AMOR que nos ENSINA a SER HUMANOS...
Somos uma SURPRESA da VIDA, 
nos surpreendendo com o AMOR!!!


 
Juli Lima



publicado por egasmoniz às 21:15
mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
19
20
21

25
26
27
28



pesquisar neste blog
 
blogs SAPO